sábado, 17 de abril de 2010

WICCA - A FEITIÇARIA CHIQUE

     Sábado, 17 de Abril de 2010

Estudos Bíblicos      Apologética       Satanismo
Wicca - A feitiçaria chique...
Publicado em 11/11/2003
Dr. Samuel Fernandes Magalhães Costa
Extraído da revista Chamada da Meia-Noite, maio de 2003
Saiba como os adolescentes estão sendo atraídos pela feitiçaria "chique"

"Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus" (3 João 11).

Fiquei sabendo de uma festa de aniversário de uma pré-adolescente, filha de um grã-fino da alta sociedade inglesa, em que o tema foi "a feitiçaria". "Chique, não é mesmo?", sentenciavam alguns convidados.

Fiquei curioso e li mais sobre a matéria: muitos estavam fantasiados de personagens de vários seriados de TV, que defendem a bruxaria, outros de monstros e, claro, de Harry Potter e sua turma. Era tudo em um estilo elegante e havia até "zumbis". Não, não, a festa não ocorreu em uma santería cubana, nem em um terreiro de candomblé brasileiro e, tampouco, em uma casa de vodu haitiano. Esse fetichismo infantil foi realizado em uma casa luxuosa em Londres, com direito até a manobrista à porta para estacionar os carrões dos figurões que traziam seus filhos.

Hoje em dia, os feiticeiros estão presentes em inúmeros lugares: fantasiados nas ladeiras da cidade de Olinda durante o carnaval, nas telinhas das TVs e nos protestos globalizados pela paz mundial. Eles estão lá... muitas vezes tímidos freqüentadores de covens (grupos de pessoas que estudam e praticam a bruxaria) em sítios distantes dos centros urbanos. Outras vezes, exibidos e provocando aqueles que passam ao largo (com a mesma desenvoltura das prostitutas do "Bairro da Luz Vermelha", em Amsterdã).

A visibilidade deles se traduz como um novo status social – o da "feitiçaria chique"!

Em nossos dias, fetiches marcam culturalmente a identidade dos nossos adolescentes, mas afetam também suas vidas espirituais em pelo menos dois aspectos:

1. Familiarizando-se com o paganismo

Nossos adolescentes passaram a ser indiretamente apresentados ao ocultismo. Por exemplo, no livro e no filme Harry Potter e A Pedra Filosofal, aparece um cachorrão de três cabeças chamado "Fofo", que protege a entrada de uma câmara onde está contida a pedra filosofal. Qualquer um pode até presentear crianças com esse "Fofo" – ele está à venda, em pelúcia, em várias lojas nos shopping centers. As crianças podem levá-lo para casa e até dormir com ele nas suas próprias camas.

Coincidência ou não, na mitologia grega somos apresentados a "Cerberus", também um cachorrão de três cabeças que protege a entrada do Hades. Ambos, "Fofo" e "Cerberus", ficam calmos ao som de música. Nossos adolescentes, quando estudarem sobre "Cerberus", na mitologia grega, vão se lembrar do "Fofo" de Harry Potter. "Cerberus", porém, mata pessoas e não é, de forma alguma, uma criatura agradável. Chique? Claro que não. Tenebroso? Sim senhor!

A Bíblia nos adverte sobre o perigo de confundir o que é reto e luminoso com o que é perverso e escuro: "Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!" (Isaías 5.20).

2. Criando fantasias pagãs no imaginário das adolescentes

A cultura adolescente está sendo bombardeada pela bruxaria. Antes mesmo de surgir Harry Potter, elas já podiam assistir o filme Jovens Bruxas (1996). Ele tratava de jovens bruxas colegiais que acabam brigando entre si – é a "boa" contra a "má" bruxaria. Segundo a Bíblia, porém, bruxaria é sempre bruxaria, independente de ser "boa" ou "má", e é algo que devemos evitar.

Se a adolescente possui televisão a cabo, aí mesmo é que ela pode ser influenciada ou iniciada diariamente na feitiçaria e no modo de vida da wicca (nome moderno da bruxaria). Há vários seriados onde as heroínas são bruxas adolescentes bonitas e agradáveis: Sabrina, Aprendiz de Feiticeira; Charmed; Buffy, a Caça-Vampiros, entre outros.

"Ser bruxa é chique e legal", fantasiam nossas adolescentes após assistirem tais seriados. Muitas vezes querem imitá-las, procuram mudar de identidade para serem mais aceitas pela sua turma, entusiasmam-se e passam a ler mais e a estudar com afinco sobre a wicca. Ninguém precisa mais caçar bruxas, elas estão na nossa vizinhança e, às vezes, na nossa própria família. Muitas crianças estão cegas e sendo iniciadas prematuramente no paganismo através de filmes, jogos, modas, TV, internet e muitos livros de incentivo à bruxaria.

Conclusão

Satanás é um vampiro da psique humana. Ele nos seduz, ilude e depois mata. Na Bíblia Sagrada, feitiçaria é uma espiritualidade associada às obras da carne e jamais à vida no Espírito. Lemos: "não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam" (Gálatas 5.20-21).

Portanto, é das mentes dos nossos adolescentes que o inimigo quer se apossar. O Diabo quer desestabilizar a lucidez espiritual dos nossos jovens e plantar nas mentes mais frágeis o interesse, ainda que aparentemente ingênuo, pela "chiquérrima" espiritualidade wiccana.

Assim sendo, cientes de que nossos filhos podem estar sendo indiretamente aprendizes de feiticeiros e que estamos vendo uma nova geração de cananeus chiques surgindo no planeta, não temos tempo a perder!

Inculquemos nas nossas mentes e nas dos nossos filhos o amor genuíno por Deus e, "finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe os vosso pensamento" (Filipenses 4.8).Fonte: jesussite.com

ASSASSINATO NA ALEMANHA CHAMA A ATENÇÃO PARA CRIMES SATÂNICOS


Estudos de Seitas      Apologética       Satanismo
Assassinato na Alemanha chama atenção para cultos satânicos

Publicado em 1/31/2002

da Reuters, em Bochum (Alemanha)
Foto - Manuela Ruda fala com seu advogado na corte de Bochum, Alemanha


Um estranho assassinato cometido na Alemanha por duas pessoas que se diziam adoradores do diabo trouxe à tona o problema do satanismo no país, onde, segundo as estimativas de um especialista, há até 7.000 seguidores dessa prática, muitos deles também simpatizantes do nazismo.

O casal Daniel e Manuela Ruda confessou o assassinato de um amigo com um machado e 66 facadas em julho passado, afirmando que o demônio havia ordenado o crime. Nesta quinta-feira, Daniel foi condenado a uma pena de 15 anos e Manuela a 13 anos em uma instituição psiquiátrica.

Segundo psiquiatras que testemunharam no julgamento ocorrido em Bochum (oeste), os dois possuem graves desequilíbrios mentais.

Os relatos sobre o hábito de Manuela de sugar sangue e sobre o ritual, no qual ela e o marido mataram a vítima, desenhando um pentagrama no peito dela e deixando um escalpelo (espécie de bisturi com dois gumes) saindo-lhe do estômago, assustaram a Alemanha e atraíram a atenção do país para o satanismo.

"Se formos estudar páginas de chat na Internet poderemos ver que os Rudas tornaram-se um objeto de culto entre crianças", afirmou Ingolf Christiansen, autor de um livro sobre satanismo e comissário para assuntos ideológicos da Igreja Luterana Protestante de Hanover.

Segundo Christiansen, o satanismo está mais disseminado no Reino Unido e nos EUA do que na Alemanha, onde estima haver entre 3.000 e 7.000 seguidores da prática.

O especialista afirmou que os cultos satânicos possuem muito em comum com o nazismo, e muitos satanistas na Alemanha possuem ligações com grupos de extrema direita.

"Os dois possuem raízes comuns na noção de uma raça superior. O que para os nazistas é a raça germânica ou o homem nórdico, para os satanistas é o ser humano superior. E as duas ideologias rejeitam os valores judaico-cristãos", disse Christiansen.Fonte:www.jesussite.com

sexta-feira, 16 de abril de 2010

TESTEMUNHO DE EX MAÇON Pr SAAD PARTE 1

TESTEMUNHO DE EX MAÇON Pr SAAD PARTE 2

TESTEMUNHO DO EX MAÇON Pr SAAD

UMA REFLEXÃO

O Espírito de Deus diz claramente, que nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé. Eles obedecerão a espirítos enganadores e a doutrinas de demônios. Esses ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que tem a consciência morta como se ela tivesse sido queimada com ferro em brasa. 1 Timóteo cap 4 - verc de 1 a 4 By Lery for you

COMENTÁRIO DE AVE DE RAPINA EM A MAÇONARIA: DUAS ORGANIZAÇÕES UMA VISÍVEL OUTRA INVISÍVEL

Ave de Rapina deixou um novo comentário sobre a sua postagem "MAÇONARIA: DUAS ORGANIZAÇÕES. UMA VISIVEL, E O...":

E mais,. Como necessito me informar mais a respeito de tais assuntos religiosos- filosóficos-doutrinários, seguirei seu blog, pois no futuro próximo talvez tenha que tomar alguma decisão a esse respeito. Espero ficar mais ainda esclarecido. Obrigado


Postado por Ave de Rapina no blog BLOG DA LERY em 16 de abril de 2010 05:56

COMENTÁRIO DE AVE DE RAPINA EM A MAÇONARIA: DUAS ORGANIZAÇÕES UMA VISÍVEL OUTRA INVISÍVEL

Ave de Rapina deixou um novo comentário sobre a sua postagem "MAÇONARIA: DUAS ORGANIZAÇÕES. UMA VISIVEL, E O...":

Olha companheiro, são tantas coisas que falam a respeito disso ou aquilo, que é isso ou é aquilo, que eu não sei nais em que acreditar. Ao que me parece todas aquelas religiões do passado, no passado eram tidas como verdadeiras e unicas, e creio que as pessoas, daquela época pensavam chegar a Deus ou deuses, atráves delas. Será que daqui a três séculos nós também não estaremos sendo julgados como satanicos por acreditar agora em que a nossa sociedade acredita? ou seja por sermos uma sociedade eminentemente com uma civilização judaico-cristã?


Postado por Ave de Rapina no blog BLOG DA LERY em 16 de abril de 2010 05:50

quinta-feira, 15 de abril de 2010

COMENTÁRIO DE LERYCLEIDE

Aqui termino minhas postagens sobre a maçonaria, obrigada aos maçons que me prestigiaram com a sua presença em meu blog e com os comentários apesar de anônimos, mas carinhosos. Afirmo que não tenho nada contra a pessoa "maçon" inclusive tenho amigos maçons que são pessoas maravilhosas, tenho parentes maçõns. Meu problema é com a seita maçonaria, aliás este problema não é meu é guerra de deuses, a certesa que tenho é que o Deus de Israel foi, é e sempre será vencedor. Aproveitem bastante os estudos, tirem cópias, pois uma coisa tenho certesa vocês são pessoas inteligentes. Aos meus maçons prediletos 1 e 2  desculpem, mais foi tudo feito por uma boa causa, a salvação de todos. Quanto ao problema de mentes cauterizadas, isto não existe, pois nós podemos controlar nosso cerebro, pois ele é uma máquina programadora e podemos controlar o que pensamos, eu por exemplo, só penso o que quero, ninguém faz minha cabeça. Pensamento ruim só fica comigo se eu aceitar, caso contrário não ficam. Todo ser humano é assim é só saber programar o seu cerebro.Não é do meu conhecimento que a medicina psiquiatrica confirme este tipo de diagnóstico, cauterização de mente. Conheço transtorno de personalidade que tanto é diagnósticado pelos psiquiatras como também é atribuídos a demônios. By Lery for you my friend

MAÇONARIA - UM PEQUENO HISTÓRICO

Estudos de Seitas      Apologética       Maçonaria
Maçonaria - Um pequeno histórico

Publicado em 11/7/2001

JesusSite
Alguns dizem que o primeiro maçom foi Adão. Surgindo a maçonaria no Éden, ou que ela remonta a mais antiga história da civilização humana e se perdeu nas brumas do tempo. Exageros à parte, vejamos até onde a história registra o seu surgimento.

Muitos escritores maçônicos são de opinião que a maçonaria teve sua origem numa confraria de pedreiros, criada por Numa, em 715 a.C., que viajava pela Europa construindo basílicas. Com o passar dos tempos, porém, essa sociedade perdeu o seu caráter primitivo e muitas pessoas estranhas à arquitetura nela foram admitidas.

Alguns acham que ela teve uma origem mais remota: seria originária dos antigos mistérios pagãos religiosos do velho Egito e da antiga Grécia. Outros admitem que ela se originou por ocasião da construção do templo de Jerusalém, no reinado de Salomão, rei dos israelitas (1082-975 a.C.), e tendo como fundador e arquiteto, Hiram Abif. De acordo com a maioria das autoridades maçônicas, a maçonaria moderna (também chamada de maçonaria "especulativa") teve seu primeiro registro com a fundação da primeira Grande Loja, em Londres, 1717 A.D.)

Trata-se de uma sociedade, dita, filantrópica, fraternal e parcialmente secreta (ou discreta, como alguns preferem chamar). É uma sociedade religiosa ou mesmo uma religião, dependendo da ótica de quem a vê.

Como religião, acredita num Ser Supremo que chamam Grande Arquiteto do Universo (G:.A:.D:.U:.), exigindo de seus candidatos a crença neste ser não definido e inominado; comum a todas as religiões. Possui rituais próprios, de adoração, casamento, funerais, festas, juramentos, iniciações e para as reuniões ordinárias e formais. Reúnem-se em Templos, onde encontram-se altares e um Livro Sagrado (que pode ser a Bíblia, ou, outro livro considerado sagrado para qualquer religião). As Lojas são dirigidas por ministros (veneráveis). As reuniões são abertas e fechadas com uma oração, invocando a benção do Grande Arquiteto do Universo. Tem um conceito para a alma humana que é eterna e que tem a sua salvação, ou, evolução através das boas obras.

A maioria dos maçons que participam dos rituais não compreende o seu verdadeiro sentido oculto. Seguem a maçonaria apenas com uma participação irrefletida nos rituais, apenas imitam o que os outros fazem ou mandam fazer. Para estes, a maçonaria não é ocultista. Tais maçons desconhecem o significado misterioso de muitos dos símbolos e rituais maçônicos. Segundo C. W. Leadbeater (33º), em A Vida Oculta na Maçonaria (pág. 275), "tudo na loja maçônica - os móveis, os símbolos, a abertura e o encerramento da loja, os rituais e gestos tanto dos três primeiros graus (Loja Azul ou Simbólica) quanto dos graus mais avançados - está cheio de simbolismo derivado de antigas religiões pagãs". Como exemplo, a respeito da ressurreição de Hiram Abif, simbolizada no terceiro grau de Mestre-Maçom, Clymer declara, em seu livro, Antiga Maçonaria Mística Oriental (pág. 53): "Qualquer pessoa pode reconhecer no Mestre-Maçom, Hiram, o Osíris dos Egípcios, O Mithra dos Persas, o Baco dos Gregos, o Atys dos Frígios, cuja paixão, morte e ressurreição esses povos celebravam, da mesma forma que os cristãos celebram até hoje a de

Jesus Cristo. Aliás, este é o modelo eterno e invariável de todas as religiões que se sucedem na Terra".

A maçonaria bebe livremente das fontes das religiões egípcias, cananitas, babilônicas, gregas, da filosofia hermética (gnóstica), do zoroastrismo, do islamismo, do misticismo, da Rosacruz, das religiões orientais e dos conceitos hoje chamados a Nova Era.

O conceito de Deus na maçonaria


Será que o "deus" da maçonaria é semelhante ao Deus da Bíblia?

É difícil descobrir o nome da divindade da maçonaria, visto que este é um segredo bem guardado. Para os profanos, ou seja os de fora, é descrito como o "Grande Arquiteto do Universo" (G:.A:.D:.U:.). A intenção é justamente de parecer algo vago.

Nos graus inferiores a divindade é chamada de "Deus", ou "Soberano Árbitro dos Mundos", ou como G:.A:.D:.U:. Dentro da Loja, quando se progride para os graus mais elevados, a natureza de deus começa a tomar uma forma menos suave. O deus da maçonaria é um deus "genérico". Seu rótulo está em branco, de maneira que se quiser escrever nele Alá, Krishna ou até Satanás, você pode, e nenhum maçom objetará. Este é, evidentemente, o "deus-do-menor-denominador-comum". Diz-nos Albert Mackey, autoridade maçônica (Mackey's revised encyclopedia of Freemasonry, p. 409-410): "Pode estar certo [...] que Deus está igualmente presente com o hindu piedoso no templo, o judeu na sinagoga, o muçulmano na mesquita e o cristão na igreja".

O princípio maçônico é um Ser Supremo, e qualquer qualificação acrescentada é uma inovação e distorção. O Monoteísmo... viola os princípios maçônico, pois exige a crença num tipo específico de Divindade Suprema.

Deste modo, se você disser ao satanista que ele não pode ser maçom porque o seu ser supremo, o diabo, não é um deus de primeira linha, estará violando os "princípios maçônicos".

Sabemos que o deus da bruxaria é Lúcifer. Assim, quando alguém é convidado a fazer parte da maçonaria, é visitado por dois maçons que o interrogam com diversas perguntas, sendo que uma delas é se acredita num Ser Supremo. Se ele for um bruxo ou um cristão, isto não vem ao caso, o que importa é que ele acredite num Ser Supremo, seja ele Deus ou o Diabo. Nas Lojas encontramos muitos adoradores de Lúcifer que atingem grau elevado nos rituais.

Então, quando a maçonaria afirma que o Deus adorado por todos os homens é o Deus da maçonaria, isto não pode ser verdade. A maçonaria tem um conceito distinto de Deus, que discorda de quase todos os conceitos específicos de outras religiões.

A maçonaria ensina, no grau do Arco Real (do Rito de York) que o nome verdadeiro de Deus é Jabulom.

O candidato aprende claramente no seu manual maçônico que o termo "Jabulom" é um termo composto para Jeová (Jah), Baal (Bul ou Bel) e On (uma possível referência a Osíris). Neste nome composto é feita uma tentativa de mostrar mediante uma coordenação de nomes divinos... a unidade, identidade e harmonia das idéias hebraicas, assírias e egípcias sobre deus, e a harmonia do Arco Realcom essas religiões antigas.

Baal era uma divindade tão maligna que encontrar o nome do Deus único, verdadeiro e santo, Jeová, ligado ao de Baal e On nos ritos maçônicos é blasfêmia. Quem quer que estude a malignidade de Baal no Antigo Testamento pode ver isso claramente. (Ver: 2 Rs 17:16 e 17; Jr 23:13 e 32:35) .

Deus não é uma combinação de todos os deuses. A Bíblia nos ensina que só o Deus cristão é o Deus único e verdadeiro, e não uma associação de todos os deuses. (Ver 2 Cr 6:14, Is 42:8 e Dt 4:39)

Cristo na maçonaria

Se encontramos um conceito tão artificial e vago de Deus, o que esperar do Seu Filho, o nosso Redentor e Salvador Jesus Cristo?

Se buscarmos na literatura maçônica informações acerca de Jesus Cristo descobre-se uma ausência quase total de dados a esse respeito.

Embora nas reuniões maçônicas sejam feitas orações, é expressamente proibido orar em nome de Jesus, para não ofender a sensibilidade religiosa dos maçons que são membros de outras religiões que negam ser Jesus a única encarnação de Deus e Salvador do mundo. Por exemplo, a natureza e missão únicas de Cristo são negadas pelos hindus, budistas, muçulmanos, judeus, etc. A fim de não ofender essas pessoas, ela ofende os cristãos.

Em nenhum lugar da literatura maçônica você vai encontrar Jesus chamado de Deus ou de Salvador do mundo, que morreu pelos pecados do homem. Retratá-Lo dessa forma iria "ofender" os homens a maçonaria não quer ofender ninguém. A maçonaria ensina que Jesus era apenas homem.

A maçonaria exclui completamente, todos os ensinos bíblicos específicos sobre Cristo, tais como a Sua encarnação, missão redentora, morte e ressurreição. A maçonaria "exclui cuidadosamente" o Senhor Jesus Cristo das Lojas e Capítulos, repudia sua mediação, rejeita a sua expiação, nega e não reconhece o seu evangelho, desaprova a sua religião e igreja, ignora o Espírito Santo, e estabelece para si mesma um império espiritual, uma teocracia religiosa, em cujo ápice coloca o G:.A:.D:.U:. - o deus "genérico" - e do qual o Deus vivo, único e verdadeiro, é expulso deliberadamente.

A Bíblia ensina claramente que Jesus Cristo é Deus:

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus... E o Verbo se fez carne e habitou entre nós..."(Jo 1:1, 14). Ver também: Tt 2:13; 10:30,33,38; 14:9,11; 20:28; Rm 9:5; Cl 1:15; 2:9; Fp 2:6; Hb 1:3; 2 Co 5:19; 1 Pe 1:2; 1 Jo 5:2; Is 9:6.

Todos esses ensinamentos sobre Jesus na Bíblia provam que a maçonaria está errada naquilo que ensina a respeito d'Ele. Como pode então o cristão que afirma crer em Jesus como seu Salvador continuar aceitando a religião falsa (maçonaria) que nega seu Senhor? O próprio Jesus não disse: "por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando? (Lc 6:46). O próprio Jesus advertiu: "Mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus" (Mt 10:33). Ele também disse: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus"(Mt 7:21).

Em resumo, a maçonaria se opõe ao Deus cristão. Portanto, estes ensinamentos são deliberadamente antagônicos à fé cristã.

Plano de Salvação da maçonaria

A maçonaria ensina que a salvação e a morada na "Loja Celestial" pode ser obtida mediante as boas obras praticadas pelos maçons. Isso é bíblico?

Através de vários símbolos, ensina a maçonaria uma doutrina de "salvação por obras". O neófito (candidato) maçônico é repetidamente informado de que Deus será gracioso e recompensará aqueles que edificarem o seu caráter e fizerem boas obras.

Um exemplo: "A Espada Apontada para um Coração Desnudo" é considerado como "uma lembrança penetrante de que Deus nos recompensará de acordo com o que fizermos nesta vida". Do mesmo modo, "O Olho-Que-Tudo-Vê, simbolizando Deus, "penetra os recessos mais íntimos do coração humano e irá recompensar-nos de acordo com os nossos méritos".

Em todos os rituais a maçonaria mostra como alcançar o céu. Ensinam isto mediante o uso do avental de "aprendiz" que traduz pureza, vida e conduta. O Landmark nº 20 declara que de cada maçom "é exigida a crença em uma vida futura". A imortalidade da alma é uma das doutrinas mais importantes da confraria. Ensinam isto na lenda de Hiram ABIF do terceiro grau, [simbolizando] a imortalidade da alma. Através de todos os seus escritos, eles dizem que estão ensinando a imortalidade da alma ao maçom, mais a palavra de Deus nos diz que a única maneira de ter vida eterna é através da Pessoa de Jesus Cristo. Nenhum ritual maçônico jamais indicou que Jesus é o caminho da Salvação. "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (JO 14:6). Disse Pedro a respeito de Cristo: "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." (AT 4:12).

O conceito maçônico de salvação é aquele que a Bíblia chama de "outro evangelho". Ele é tão contrário ao caminho da salvação de Deus que a Escritura o colocou sob a maldição divina:

"Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;" 

"O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo." 

"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." (GL 1:6 a 8).

A salvação vem unicamente pela graça (favor imerecido) de Deus e não por qualquer coisa que a pessoa possa fazer para ganhar o favor de Deus, ou pela sua retidão pessoal. "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie". (Ef 2:8 e 9).

Dando a César o que é de César

Queremos deixar registrado que não desconhecemos a participação da maçonaria na história e na olítica. A maçonaria teve participação ativa na revolução francesa e na história de nosso país, sendo responsável diretamente pela independência do Brasil e a libertação dos seus escravos, entre outros feitos.

Devo também acrescentar que muitos dos maçons são pessoas de boa vontade, boa índole, muitos são sinceros, muitos são bem intencionados, muitos são religiosos, porém estão enganados. Diz-nos a Bíblia que "há caminhos que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte". (Provérbios 14:12). Também digo que tenho muitos amigos que fazem parte da Maçonaria, mas isto não quer dizer que corrobore ou concorde com eles.

Conclusão

Pelo exposto, concluímos que a maçonaria é uma falsa religião, contrária aos ensinamentos da Palavra de Deus e entra em conflito especialmente com os ensinamentos cristãos. A maçonaria é contrária ao Deus único e verdadeiro, é oposta à pessoa e obra de Jesus Cristo, é oposta à salvação pela graça, e contradiz toda doutrina básica cristã.

Como pode então o cristão ser membro, viver de acordo e promover os ensinamentos da maçonaria?

Os maçons cristãos devem decidir hoje se vão permanecer maçons e negar o seu Senhor, Jesus Cristo, ou se farão a vontade do Pai celestial e deixarão a maçonaria.

Ao fazer parte da Loja, o maçom cristão está apoiando "outro evangelho", um falso sistema de salvação que engana os homens quanto à maneira de serem salvos.

Se você for um verdadeiro crente em Jesus Cristo, ao compreender isso, deve obedecer a advertência bíblica em 2 Coríntios 6:17: "Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor".

Séculos atrás, o profeta Elias desafiou o povo de Deus que havia abandonado o Deus verdadeiro e caído no triste pecado da idolatria. Ele os advertiu: "Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-O; se á Baal, segui-o" (1 Rs 18:21). Esta pergunta continua verdadeira para os cristãos maçons de hoje. Siga a Deus ou siga a maçonaria.

Bibliografia:
1) Seitas e Heresias - Raimundo F. de Oliveira - Casa Publicadora das Assemb. de Deus
2) Os Fatos Sobre a Maçonaria - John Ankerberg e John Weldon - Chamada da Meia Noite
3) Maçonaria e Fé Cristã - J. Scott Horrell - Editora Mundo Cristão
4) Maçonaria, do Outro Lado da Luz - William Schnoebelen - Editora Luz e Vida Fonte:jesussite.com

DEVE O CRISTÃO SER MAÇON ?

Deve o Cristão ser Maçon
Publicado em 11/23/2001
Esequias Soares e Natanael Rinaldi
Revista Defesa da Fé
Origem a história

"1. Etimologicamente, este termo provém do baixo latim machio, `macio', que também se diz provir do alemão metz ; `cortador de pedra'; a do francônio manjo, cognato de sânscrito matya `clube', a do inglês mason e do francês maçon `pedreiro'. 2. Um membro da maçonaria operativa ou especulativa."

A exata origem da maçonaria é desconhecida, diz o Dicionário da Maçonaria, de Joaquim Gervásio de Figueiredo: "As origens reais da maçonaria se perdem nas brumas da antigüidade. Afirmam que começou com o Templo de Jerusalém, construído por Salomão. A maçonaria, como a conhecemos hoje, segundo o já citado dicionário, no verbete Franco-maçonaria, "foi fundada em 24 de junho de 1717, em Londres".

A origem da maçonaria está ligada às lendas de Ísis a Osíris, Egito; ao culto a Mitra,vindo até a Ordem dos Templários e a Fraternidade Rosa Cruz. Segundo Jesus Hortal, em sua obra Maçonaria e Igreja: Conciliáveis ou Inconciliáveis?, a maçonaria é um desdobramento das antigas corporações de pedreiros surgidas na Idade Média. Estas corporações, com o passar do tempo, chegaram a monopolizar a arte gótica, pois construíram uma multinacional da arquitetura. Seus artistas e pedreiros, que trabalhavam a "pedra franca" ou arenito, cujas marcas podem ser vistas nas grandes catedrais da Espanha, França, Inglaterra e Alemanha.

Em 1717, data reconhecida pela própria maçonaria como a de sua fundação, foi que quando lojas maçônicas de Londres se unificaram e deram origem à Grande Loja da Inglaterra, conhecida como Maçonaria Especulativa ou Franco-Maçonaria. James Anderson, presbiteriano e John Desagulliers, huguenote, lideraram esse movimento. A Grande Loja de Londres é o berço da maçonaria.

Em 1723, James Anderson publicou as Constituições da maçonaria, sendo até hoje documentos universalmente aceitos como base de todas as lojas maçônicas. Essas Constituições foram levemente revisadas quinze anos depois de sua publicação. Em abril de 1738, o papa Clemente XII promulgou a primeira sentença de condenação católica à maçonaria, na bula In Eminenti Apostulatus Specula.

Influência da maçonaria

Os maçons desempenharam um papel extraordinário na Revolução Francesa - Queda da Bastilha, isso inspirados nos ideais de liberdade, igualdade a fraternidade, representados nas três cores da bandeira francesa.

Operam nos EUA 15.300 lojas a mais de 33.700 em todo o mundo. A influência deles nos EUA sempre foi muito grande. Catorze presidentes americanos foram maçons, destacando-se entre eles George Washington, James Monroe, Andrew Jackson, James Garfield, Howard Taft, Franklin Delano Roosevelt, Harry Truman a Gerald Ford, entre outros4

Na religião, mesmo com a oposição da Igreja Católica, os maçons estão presentes. Por incrível que pareça, até o fundador das Testemunhas de Jeová, Charles Taze Russell, teve ligações com a maçonaria, segundo Fritz Springmeier, em sua obra The Watchtower and the Masons - A Torre de Vigia a os Maçons. Justifica isso pelo fato de Russell haver pregado em lojas maçônicas, haver em seu túmulo uma pirâmide, e o use da cruz dentro da coroa, comp logotipo da Sociedade Torre de Vigia, impresso nas edições da revista The Watchtower- a atual A Sentinela até 1930.

Isso também pode ser visto no mormonismo. Ritos a símbolos maçônicos estão presentes ainda hoje na Igreja dos Santos dos Últimos Dias - Igreja Mórmon. No começo "Muitos maçons preeminentes tornaram-se mórmons"

A influência da maçonaria na história do Brasil tem sido grande. Ninguém pode negar os relevantes serviços que a maçonaria tem prestado à nossa nação.

A Inconfidência Mineira. Foi na casa de Silva Avarenga que se formou uma academia literária, que, na verdade, era uma loja maçônica. Nela foi iniciado um moço conhecido como Tiradentes. A bandeira da Inconfidência tinha o dístico libertas quae sera tamem e o triângulo maçônico.

Foi sob inspiração maçônica que a revolução republicana de 1817, em Pernambuco, teve início. Esse movimento fez D. João VI decretar a proibição da Maçonaria.

Gonçalves Ledo a José Bonifácio com outros maçons tramaram a Inconfidência do Brasil. Um mês após proclamar a independência, D. Pedro I foi aclamado Grão-Mestre Geral da Maçonaria no Brasil, e o Marechal Deodoro ocupava esse cargo ao proclamar a República em 1889. A maçonaria esteve presente desde a Independência do Brasil até a Proclamação da República.

Hoje a maçonaria tem influência muito grande no Brasil a no mundo: são cerca de 6 milhões ao todo, em mais de 164 países, sendo cerca de 150 mil no Brasil.8 Há grande quantidade de parlamentares, altos funcionários do governo, líderes religiosos, muitos empresários e membros de outras elites. Na inauguração do novo Palácio Maçônico de Brasília do Grande Oriente do Brasil, compareceram 120 parlamentares, além do então Ministro da justiça, Maurício Correia.

Graus da maçonaria

É considerado maçom quem passar pelos três primeiros graus: Aprendiz, Companheiro a Mestre. A maçonaria do Rito Escocês tem 32 graus, desde Aprendiz até o Grau do Sublime Príncipe do Real Segredo. O Grau 33 é honorário. Os três primeiros graus são chamados de graus da Loja Azul, pois são comuns a qualquer rito maçônico. Os dois ritos mais conhecidos são o Rito Escocês e o Rito de York. O Rito Egípcio ou de Misraim tem 90 graus.

Os graus do Rito Escocês estão divididos em 4 séries: Graus simbólicos: 1°. ao 3°. ; Graus capitulares: 4°. ao 18°. ; Graus filosóficos: 19°. ao 30°.; a os Graus superiores: 31°. até o Grau 33.

Graus do rito escocêsLoja Azul ou Graus Simbólicos Graus Filosóficos 1. Aprendiz 2. Companheiro 3. Mestre Graus Capitulares 4. Mestre Secreto 5. Mestre Perfeito 6. Secretário intimo 7. Chefe a Juiz 8. Superintendente do Edifício 9. Mestre Eleito dos Nove 10. Ilustre Eleito dos Quinze 11. Sublime Mestre Eleito12. Grande Mestre Arquiteto 13. Mestre do Arco Real de Salomão 14. Grande Eleito Maçom15. Cavaleiro do Oriente ou da Espada 16. Príncipe de Jerusalém 17. Cavaleiro do Leste a Oeste 18. Cavaleiro da Ordem Rosa Cruz Graus Filosóficos19. Grande Pontífice20. Grande Ad-Vitam21. Patriarca Noachita ou Prussiano22. Cavaleiro do Machado Real (Príncipe do Líbano)23. Chefe do Tabernáculo24. Príncipe do Tabernáculo25. Cavaleiro da Serpente de Bronze26. Príncipe da Misericórdia27. Comandante do Templo28. Cavaleiro do Sol ou Príncipe Adepto29. Cavaleiro de Santo André30. Cavaleiro CadoshGraus Superiores31. Inspetor Inquisidor32. Mestre do Segredo Real33. Grande Soberano Inspetor Geral

Maçonaria e religião

Os maçons e a maçonaria procuram desmentir o fato de que a maçonaria seja uma religião. Quando mostramos na literatura deles, nos mais ilustres autores, características de religião na maçonaria, geralmente respondem: "Isso é interpretação pessoal do autor a não representa a maçonaria". Para evitar esse tipo de problema, John Ankberg a John Weldon escreveram para 50 Grandes lojas dos Estados Unidos, com a seguinte pergunta: "Como um líder maçônico oficial, que livros e autores V. Sa. recomenda como tendo autoridade com relação ao tema maçonaria?"

Eles receberam a resposta de 25 Grandes lojas. Em primeiro lugar ficou Henry Wilson Coil, sua obra Coil's Masonic Encyclopedia: Enciclopédia Maçônica de Coil, com 44%; em terceiro, Albert G. Mackey, obra Mackey's Revised Encyclopedia of Freemasonry: Enciclopédia Revisada da Franco-Maçonaria de Makey, com 32%, a em nono lugar Albert Pike, por sua obra Morals and Dogma: Moral e Dogma, com 16%. Os demais serão citados este artigo, se necessário.

Albert G. Mackey diz: "A Maçonaria pode ser corretamente chamada de instituição religiosa... A tendência de toda verdadeira Maçonaria é com a religião... Veja os antigos Landmarks (doutrinas), suas sublimes cerimônias, seus profundos símbolos a alegorias, tudo focalizando verdadeiros ensinos religiosos a quem pode negar que a Maçonaria é uma instituição eminentemente religiosa?

Além dessa declaração inequívoca, de uma autoridade indiscutível, acrescentamos que a Maçonaria tem todas as características de religião.

Orações na abertura a encerramento de todas as suas cerimônias. Templos ou Lojas: "Consagração (da Loja) é um ato essencialmente místico, esotérico, pois quem dá vida a uma Loja é o Grande Arquiteto do Universo. Segundo o mesmo Dicionário, "na Maçonaria, o tratamento entre os seus adeptos é o de "irmão". Cerimônias fúnebres e nterros maçônicos: "EXÉQUIAS - Significam "funerais"... uma Pompa Fúnebre, obedecendo Ritual apropriado. Batismo de crianças. Doutrinas. código de moral, os Landmarks. Juramentos.

Ministros Oficiantes: "Vinte são os cargos que compõem uma Administração, a cada Oficial usará a seguinte Jóia: Venerável Mestre, 1° Vigilante, 2° Vigilante, Orador, Secretário, Tesoureiro, Chanceler, 1° a 2° Diáconos, Mestre de Cerimônias, 1° Experto,Hospitaleiro, Porta-Estandarte, Porta- Espada, Mestre de Banquetes, Arquiteto, Bibliotecário, Guarda do Templo, Cobridor Externo. Todos os atos litúrgicos maçônicos exigem do maçom, atos sucessivos de Fé. Ceia Mística: "A Ceia realiza-se na Iniciação do novo Cavaleiro Rosacruz a na quinta-feira de endoenças.

Os dogmas sustentados pela Maçonaria: Paternidade de Deus, fraternidade dos homens, imortalidade da alma.

Uma instituição com todos esses ritos a práticas, se não for uma religião, fica difícil saber o que se entende por religião; então os maçons estão brincando de religião dentro da maçonaria. O fato de os maçons insistirem na tese de que não se trata de uma religião, não, invalida os fatos. Não é pelo fato de um grupo de pessoas afirmar que pau é pedra que isso mudará a realidade. Os kardecistas, os rosacruzes e a seita Seicho-No-Iê também negam ser seu movimento uma religião, afirmam que é uma ciência ou filosofia. Como os espíritas e outros, há inúmeros grupos religiosos não ortodoxos que recusam ser considerados "comunidade religiosa".

Por que não se denominam religião? A razão é óbvia. As lojas não terão novos adeptos se todos tomarem conhecimento de que se trata de.uma religião de caráter secreto. Nesse caso as pessoas, principalmente as que já pertencem a um segmento religioso, não se interessariam por iniciar-se na maçonaria. Assim, a maçonaria declara-se não ser uma religião, sem interferir na religião de ninguém, ao afirmar, ainda, que uma das razões de sua existência é ajudar diversas igrejas. Com essa aparente neutralidade, a maçonaria consegue a simpatia de membros de diversos segmentos religiosos e até mesmo de alguns pastores evangélicos, que chegam a batizar maçons, sem problema algum.

Confissão do primeiro grau

No primeiro grau da maçonaria o candidato admite que é profano, que está nas trevas em busca de luz, pois a maçonaria afirma que todos os que não são maçons estão em trevas .

A Palavra "profano" aparece em Hebrews 12.16, com relação à pessoa de Esaú. "Profano" significa um homem secularizado. A Bíblia diz que estávamos em trevas, antes de conhecermos a Jesus (Ef 5.8-12). Jesus, a Luz do Mundo (Jo 8.12; 12.46) nos transportou do reino dal trevas para o reino da luz (CI 1.12-14), por isso somos filhos da luz (I Ts 5.4,5). Como podem os cristãos aceitar essa condição de profanos e que estão em trevas, que vão buscar na maçonaria essa luz?

O juramento iniciático da maçonaria

Em cada grau o maçom é submetido a um juramento.As paredes da câmara são completamente negras a têm como decoração alguns esqueletos, cabeças de mortos a lágrimas. A câmara é lugar de purificação, tomada dos antigos mistérios, por meio do elemento terra. Di, "Eu, (cita o seu nome), juro e promete, de minha livre vontade a por minha honra a pela minha fé, em presença do Grande Arquiteto do Universo e perante esta assembléia de maçons solene a sinceramente, nunca revelar qualquer dos mistérios da maçonaria que me vão ser confiados, senão a um legítimo irmão ou em loja regularmente constituída; nunca os escrever, gravar, imprimir ou empregar outros meios pelos quais possa divulgá-los.

Se violar este juramento, seja-me arrancada a língua, o pescoço cortado e meu corpo enterrado na areia do mar, onde o fluxo e o refluxo é das ondas me mergulhem em perpétuo esquecimento, sendo declarado sacrilégio para com Deus e desonrado para os homens. Amém.

Análise do juramento à luz da Biblia

Enumeramos algumas objeções contra o citado juramento da maçonaria: É proibido pela Bíblia (Mt 5.34; Tg 5.12; Lv 5.4). Tem caráter profano - nele o cristão declara entregar o seu corpo para ser mutilado por uma sociedade secreta. Nosso corpo pertence a Deus e não estamos autorizados a entrega-lo a uma sociedade mundana. (1 Co 6.19,20). O segredo organizado e sistemático, como é próprio da maçonaria, é contrário ao ensino bíblico (Jo 18.20; o Mt 10.26,27; Mt 5.14,16). Satanás é príncipe das trevas, e as trevas são refúgio do pecado (Jo o 3.19-21; Ef 5.8,11). A sociedade do fiel com o infiel (11 Co 6.14-17). Um juramento terrível estabelece mais do que amizade entre o fiel e infiel: estabelece fraternidade indissolúvel, e a promessa de guardar segredos que ainda se ignoram (Lv 5.4). Tal juramento é uma escravização da consciência. Não devemos, sem infidelidade a Deus, submeter nossa consciência a um poder estranho (II Co 5.10).

A Bíblia na maçonaria

A maçonaria se vangloria de honrar a Bíblia como a Palavra de Deus. Ensina que a Bíblia é a "grande luz da maçonaria", recomendando aos maçons que a estudem regularmente. A maçonaria ensina que as três grandes luzes são: a luz da Bíblia, a luz do esquadro e a luz do compasso. A maçonaria realmente crê na Bíblia, mas somente como um símbolo da vontade de Deus, e não como fonte de ensinamento divino. Disse Coil: "A opinião maçônica prevalecente é que a Bíblia constitui apenas um símbolo da vontade, lei ou revelação divina, a não que seu conteúdo é lei divina, inspirada ou revelada".

Vemos no Dicionário da Maçonaria, p.122, que o emblema da loja maçônica é constituída de "Volume da Ciência Sagrada, o Esquadro e o Compasso". Coloca assim a Bíblia em paridade com outros símbolos, isto é, o "Volume Sagrado" que, além da Bíblia, também pode ser o Alcorão, a Tripitaka, os Vedas, o Livro de Mórmon etc. "Varia segundo a Escritura Sagrada de cada povo". Colocam agora, além dos símbolos da maçonaria, livros de religiões opostas ao cristianismo, no nível das Escrituras Sagradas.

Isso torna evidente que a Bíblia não é usada na maçonaria como regra de fé e prática. A Bíblia, assim como a bandeira, é um símbolo. A bandeira é apenas um pedaço de pano, porém representa coisas importantes para um povo, como a sua liberdade. Para os maçons a Bíblia é apenas um livro sem valor textual, que apenas representa a Palavra de Deus, a isso unicamente nos lugares onde predomina o cristianismo. Se considerarmos, por exemplo, a loja de Utah, EUA, a Palavra de Deus está representada pelo Livro de Mórmon; se considerarmos a Índia, o símbolo é os Vedas; na Arábia o Alcorão, a assim por diante.

Disto se pode ver que o propósito da maçonaria é usar o temor e o reconhecimento de várias Escrituras para obter o juramento de fidelidade à autoridade do livro que o maçom considera sagrado e pelo qual se compromete em obedecer à maçonaria.

Em suma, para a maçonaria a Bíblia é apenas um símbolo, uma peça decorativa em que não deve crer, pois não é a literal vontade de Deus, à qual não se deve obedecer.

Considera ainda que alguns dos relatos bíblicos não passam de lenda: "Sua lenda (Jonas) muito se assemelha à Musarus Oannes, de tradição caldéia, que surgiu do Mar Eritreu e aportou entre os primitivos babilônicos durante o reinado do antediluviano Ammenon.

Como o cristianismo histórico ortodoxo recebe a Bíblia?

O Senhor Jesus Cristo, a maior autoridade no céu e na terra (Mt 28.18), disse que a Bíblia é a Palavra de Deus (Mc 7.13) e não simplesmente um símbolo ou uma alegoria. Deve-se obedecer à Bíblia como Palavra de Deus (Is 8.20), é um conjunto de livros inspirados por Deus (II Tm 3.16,17) Isto é enfatizado repetidamente nas Santas Escrituras, enquanto a maçonaria nega a Bíblia como literal Palavra de Deus.

Jesus disse mais sobre a Bíblia: "E a Escritura não pode ser anulada" (Jô 10.35). "Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade" (Jô 17.17). "Nem só de pão vive o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus" (Mt 4.4). "Porque lhes dei as palavras que tu me destes; e eles a receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti; e creram que me enviaste" (Jô 17.8). "O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar" (Mt 24.35). "Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia" (Jô 12.48)

Deus

A maçonaria compreende diversas crenças; logo, tem em seu meio diversos deuses. A Maçonaria não desconsidera a crença em um deus; ao contrário, exige que seus seguidores acreditem "num Ser Supremo". É assim que declara o Dicionário da Maçonaria, já citado, no verbete "Profano", onde se indicam os principais requisitos para alguém se tornar maçom, e na página 365, artigo 8° declara: "Crer num Ser Supremo". Logo, um ateu não pode ser maçom.

G.A.D.U.

Embora a maçonaria não procure identificar deus, dá-lhe o nome de G.A.D.U - "Nome pelo qual na maçonaria se designa Allah, Logos, Osíris, Brahma, etc., dos diferentes povos, já que ali se considera o Universo como uma Loja ou Oficina em sua máxima perfeição.

O deus da Maçonaria, como vemos, não é identificável: pode ser aceito pelos cristãos, hindus, budistas, islamitas, judeus etc; logo ele não pode ser o mesmo deus.

O Deus da Biblia adorado pelos cristãos é conhecido por vários nomes, como: Adonay - "Senhor" (Is 6.1), Elohim - "Deus" (Gn 1.1), Yahweh - "Jeová, Iavé ou Senhor" (Ex 3.14), El Olam - "Deus Eterno" (Gn 21.33; Is 40.28), El Elyon - "Deus Altíssimo" (Gn 14.19,20), El Shaday - "Deus Todo Poderoso" (Gn 17.1).

O deus do bramanismo é Brahma, que é impessoal, monístico (nem unitário, nem trinitário) ou politeísta. O budismo é politeísta (crê em Buda como se fosse um deus, e há centenas de outros deuses bons e maus) ou simplesmente ateísta, afirmando que não há Deus. O deus do mormonismo é um homem exaltado, entronizado no mais alto céu e que partiu da condição de homem (Adão) até alcançar a divindade (Ensinamento do Profeta Josefh Smith,336).

Então, o que a maçonaria na verdade quer dizer é que não aceita os deuses das religiões, mas muda o deus de cada religião numa forma única: G.A.D.U.

A maçonaria faz imensa confusão de conceitos. Primeiro diz que não se interfere nos princípios religiosos de cada seguidor; depois ensina o único nome pelo qual se deve chamar a Deus, exigindo então uma crença em um "Ser Superior". Alega que se alguém clama por deuses de diferentes nomes é apenas por não os conhecer melhor, por ignorância espiritual.

A maçonaria se propõe então a remover estas trevas revelando que, embora imperfeitos a todos os homens é conferido o direito de adorar o único e verdadeiro Deus. É difícil entender, de uma vez por todas, quem é essa divindade a que se refere a maçonaria: porém, já está claro que não é o Deus da Bíblia. O leitor dos ensinamentos de Alberto Pike sobre Deus, de alto grau na maçonaria, reconhece isso claramente.

A maçonaria se refere à sua divindade, usando nomes para deuses considerados abomináveis na Bi blia. A maçonaria não é apenas uma entidade de conceitos pagãos, mas um reavivamento dos antigos cultos pagãos de mistérios.

No grau do Real Arco do Rito de York, o maçom reconhece que o verdadeiro nome de Deus é Jabulon, que até os três primeiros graus de chamou G.A.D.U. Nesse mesmo Real Arco Rito de York, a maçonaria une Yahweh com divindade pagãs como Baal, On e Osíris.

Cada sílaba da palavra Jabulon representa um deus. Segundo Coil, é uma associação de Javeh, Baal ou Bel e Om (Osíris, o deus-sol do Egito). Ja - representa Javé; Bul ou Baal - representa o antigo deus cananita, deus nacional dos fenícios, terra de Hirão, rei de Tiro (II Rs 1.2-4); On representa Osíris, o misterioso egípcio. Ora, se a maçonaria começou com o Templo de Jerusalém, construído por Salomão, então ela se desviou há muito tempo, pois a Bíblia diz que esse Templo foi construído para que nele o nome de um Deus específico e único permanecesse, fato que exclui os demais deuses (I Rs 9.3; II Cr 7.16).

Comparando G.A.D.U. com Deus

A Bíblia diz que Deus não aceita outros deuses. (Is 44.6, 8; 45.5). A Bíblia diz que Deus é maior que os falsos profetas adorados pelos homens (II Cr 2.5). A crença maçônica pe henoteísta (crença em que o adorador adora a um só Deus, mas admite a existência de outros). "Porque grande é o Senhor, e mui digno de ser louvado, e mais tremendo é do que todos os deuses. Porque todos os deuses das nações são vaidades; porém o Senhor fez os céus" (I Cr 16.25,26). "Ao Senhor teu Deus temerás, e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás. Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver à roda de vós, porque o Senhor vosso Deus é um Deus zeloso no meio de ti; para que a ira do Senhor teu Deus se não ascenda contra ti, e te destrua de sobre a face da terra." (Dt 6.13-15).

O rei Salomão e Deus

Para justificar essa união híbrida entre o Verdadeiro Deus e outros falsos deuses, a maçonaria menciona Salomão: "O rei Salomão se caracterizou por certo espírito eclético. Conforme várias passagens bíblicas, os hebreus também tributavam honras semelhantes a outros deuses, a ponto de os profetas os censurarem (Ez 8.14), e o próprio rei Salomão não era monoteísta ortodoxo. (I Rs 11.5,7), talvez em respeito aos países vizinhos, muitos deles, seus aliados, bem como várias tribos que estavam a seu governo."

A maçonaria exclui, intencionalmente, o versículo 6 de I Rs 11, pois lá se confirma o seguinte: "Assim fez Salomão o que parecia mal aos olhos do Senhor, e não perseverou em seguir ao Senhor, como Davi seu pai". Embora no seu reinado não houvesse divisão, tal aconteceu no reinado de seu filho Roboão, justamente por causa da apostasia de Salomão.

Jesus Cristo

A maçonaria afasta o homem de Jesus Cristo, de cinco maneiras:


1ª - Elimina o nome de Jesus de suas orações e citações de suas escrituras. Eis uma fonte de oração recomendada pela Maçonaria: "Eis-nos, Oh! G.A.D.U., em quem reconhecemos o Infinito Poder e a Infinita Misericórdia, humildes e reverentes a teus pés...

Dá-nos que, por nossas obras, nos aproximemos de Ti, que és Uno e subsistes por Ti mesmo...

Presta a esse candidato, agora e sempre, tua proteção e ampara-o com teu braço onipotente em todos os perigos por que vai passar."

Como se lê nessa oração o maçom se aproxima de Deus firmado em suas boas obras, e não no reconhecimento da medição de Cristo (Jo14.13,14; I Tm 2.5).

A maçonaria retira o nome de Cristo de diversos trechos da Bíblia em rituais maçônicos, nas citações etc. I Pd 2.5. O Ritual Maçônico diz: "... para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus...", I Pd 2.5, na Bíblia, diz: "para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" (grifo nosso). Nessas passagens os maçons não citam o nome de Jesus, como também não o citam, por exemplo, em II Tessalonicenses 3.6; 3.12.

Todo cristão deve saber que a Bíblia é a Palavra de Deus e que, portanto, não pode ser alterada (Dt 4.2; Ap 22.18,19). O maçom não só retira o nome de Jesus da Bíblia, como também proíbe que se façam orações no nome dele. A Bíblia deixa claro que todo cristão ora em nome de Jesus: "E tudo quando pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho". (Jo14.13). "Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu farei." (Jo14.14)

Considere a seguinte declaração apenas como ilustração da proibição de orar em nome de Jesus: "O vigilante chamou-me em particular e repreendeu-me claramente. Ele disse que eu tinha usado o nome de Jesus no encerramento de minha oração. Por isso ele disse que eu poderia ser repreendido... Fui chamado à Secretaria do Rito Escocês para ouvir sobre a maneira imprópria de orar. Ele foi delicado, mas me proibiu encerrar qualquer oração 'em nome de Jesus'. Ele disse: "Faça uma oração universal".

O motivo por que a maçonaria proíbe o nome de Jesus nas suas orações é que alguns maçons não são cristãos, e isso os escandaliza. Será que a maçonaria se envergonha do nome de Jesus? É bom lembrar que Jesus disse que quem se envergonhasse de Seu nome, ele se envergonharia dele diante do Pai. (Mt 10.32,33; I Jo2.23; 4.3,14,15; 5.10-12).

2ª - Requer dos cristãos que desobedeçam a Jesus, proibindo toda a discussão sobre ele nas atividades da Loja. O cristão é ordenado por Jesus para testificar dele a todos os homens, (Mt 28.18-20). Paulo disse que tudo fazia por todos, para, por todos os meios, salvar alguns (I Co 9.16-19; II Tm 4.1-4; Rm 10.11-15).

3ª - Oferece os títulos e ofícios de Cristo a descrentes. Os títulos e ofícios de Cristo são apropriados pelos maçons durante seu ritual e usados nas citações secretas: Eu sou o que Sou, Emanuel, Jeová, Adonai.

4ª - A maçonaria ensina que Jesus foi meramente um homem fundador de uma religião como outros. No verbete "Religião" do Dicionário da Maçonaria, se diz: "Seus imortais fundadores foram todos mensageiros da Verdade Única" e diz ainda... "Todos eles foram unânimes em proclamar a paternidade de Deus e a fraternidade dos homens. Tal foi a mensagem de Vysa, Hermes Trimegistro, Zarathustra, Orfeu, Krisna, Moisés, Pitágoras, Cristo, Maomet e outros. A maçonaria rejeita a Javé-Deus. Permite, ao mesmo tempo, que os deuses do hinduísmo, islamismo, mormonismo, xintoísmo sejam adorados em torno do altar da Loja, de acordo com a idéia de cada indivíduo. Num nível mais alto, a maçonaria define Deus como G.A.D.U.: um vago e absolutamente desconhecido, um inofensivo deus, encorajando todos os homens a adora-lo.

5ª - Afirma que a mensagem cristã sobre a redenção exclusiva na pessoa de Cristo é meramente um retorno às antigas "histórias pagãs".


A posição da Bíblia, referente a Jesus

A Bíblia ensina que Jesus é o Salvador. "Nisto está a caridade, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nosso pecados" (I Jo4.10). "E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu filho para Salvador do mundo" (I Jo4.14).

Outros ensinamentos sobre Jesus na Bíblia. Filho Unigênito de Deus (Jo1.1-14; 3.16); Eterno (Is 9.6; Mq 5.2; Hb 13.8); Sábio (Lc 2.40,47.52; I Co 1.24; Cl 2.3); Luz do Mundo (Jo1.8;8.12); acima de qualquer outro (Ef 1.20, 21; Jo3.31); Deus Verdadeiro (Jo1.1; Cl 2.9; Tt 2.13; I Jo5.20); Criador (Jo1.1-3; Cl 1.16-18; Hb 1.2,8-10); Juiz (Jo5.22,23; Mt 25.31-34, 41,46).

Os escritores do Novo Testamento, assim como o próprio Jesus, declararam ser ele o Salvador do mundo, cuja morte na cruz pagou a penalidade do pecado do homem. (Jo 1.29; 4.3.16; 6.29;14.6; Mt 16.21-23; 20.28; Jo 3.16; I Tm 2.5,6; At 4.12). Todos os textos citados provam sobejamente que o conceito maçônico quanto a Jesus está errado e não pode ser aceito pelos cristãos. Jesus preveniu: "E por que chamais, Senhor, e não fazeis o que eu digo?" (Lc 6.46). Os rituais maçônicos exigem que primeiro o cristão jure fidelidade à Loja, e não a Jesus. Os juramentos maçons forçam o cristão a desobedecer a Jesus Cristo.

A maçonaria chama o seu deus desconhecido pelo nome secreto de JABULON, que é um ajuntamento de dois deuses pagãos como Javé, o verdadeiro Deus. Devido a essa atitude, a maçonaria tem rejeitado a Deus, revelado no Pai, no Filho e no Espírito Santo. (Mt 28.19; Gn 1.26).

Um cristão não deve ingressar na maçonaria, sabendo que ela o leva a blasfemar contra Deus. Jesus ensinou que ninguém pode servir a dois senhores (Mt 6.24). O cristão não tem possibilidade de ser maçom e cristão ao mesmo tempo e precisa decidir por Cristo ou um politeísmo que envolve Baal e Osíris. É impossível conciliar maçonaria com cristianismo.

Ocultismo e maçonaria

A maçonaria possui também seu lado oculto. "OCULTISMO: ... é o estudo dos mundos superiores ao físico: o astral, o mental e outros; é o conjunto de métodos ou disciplinas da educação individual. A maçonaria também possui seu lado oculto, que uns sistemas e ritos realçam mais que outros, porém todos têm o mesmo objetivo de aperfeiçoamento moral, intelectual e espiritual do homem, do que decorrem direitos e deveres inalienáveis.

A revista ANO ZERO, nº 18 de outubro de 1992, p. 42, declara: "O esoterismo na Maçonaria é dos elementos que mais fascinam os iniciados e também pessoas que não fazem parte da ordem".

Ensino bíblico

Em Dt 18.9-12, Deus previne os homens contra as atividades ocultistas, ao declarar serem abomináveis à sua vista tais práticas. Muitos maçons que participam dos rituais não entendem seu sentido ocultista. O fato de que muitos maçons não entendem o sentido oculto dos símbolos é lamentado por Albert G. Mackey, ao dizer: "Muitos dos escritores de grande nomeada entre os maçons desconhecem o conhecimento esotérico da maçonaria".

A maçonaria é, potencialmente, uma religião ocultista e abre a porta para o mundo do ocultista e abre a porta para o mundo do ocultismo. Encoraja a aceitação do ocultismo, de cinco maneiras, basicamente:


1ª - Aceita as premissas da Nova Era e o conceito da moderna parapsicologia, quanto aos poderes latentes dos homens (poderes psíquicos - PSI);

2ª - Apresenta arte mágicas semelhantes a outras entidades;

3ª - Incentiva o maçom a procurar "verdades esotéricas";

4ª - Está integrada no misticismo e incentiva o desenvolvimento do estado "alterado da consciência";

5ª - Muitos maçons estão trabalhando para o desenvolvimento para o despertamento do que se pode denominar "Maçonaria Oculta".


O reverendo Haroldo Reimer falou num culto que a maçonaria teve sua origem na Babilônia. Numa carta dirigida ao referido reverendo (Rio de Janeiro, 12 de outubro de 1976), um grupo identificado como Pastores e Presbíteros Maçons, Grau 33, tentou rebater essa declaração, concluindo: "O evangelho é do céu. Não se pode compara-lo a cousa alguma da terra. Mas, das coisas terrenas, a mais bela e sublime é a Maçonaria".

Nós temos registros de que maçons nos defenderam no princípio, quando chegaram os pioneiros ao Brasil. Esses maçons chegaram a proteger nossos missionários até de assassínios. Os protegidos não eram maçons, mas pastores que morreram sem sequer saber o que é a maçonaria.

Analisando o aspecto meramente humano, não são eles problema para a sociedade, como o são os grupos religiosos não ortodoxos, antes ao contrário: são benfeitores. São simpáticos, sérios e estão preocupados com a ética. Orgulham-se de ser maçons. Qualquer cidadão de boa reputação se sentiria honrado, se fosse convidado pela maçonaria para fazer parte dela.

O problema é que há na maçonaria práticas que contrariam os princípios cristãos. Apesar do lado positivo da maçonaria, todavia, com relação à fé cristã, somos obrigados a mostrar o lado negativo. Causa-nos, portanto, espanto que uma organização com tantos símbolos ocultistas e satanistas, como o pentagrama, Baphomet, pirâmides e práticas esotéricas, cabalísticas, além das doutrinas nada ortodoxas sobre a Bíblia, Deus, Jesus Cristo e o homem, seja ainda reconhecida por evangélicos como o que há de mais belo e sublime na Fonte:www.jesussite.com

VINTE E CINCO PERGUNTAS SELECIONADAS SOBRE A MAÇONARIA







     Quinta, 15 de Abril de 2010

Estudos de Seitas      Apologética       Maçonaria
Vinte e Cinco Perguntas Selecionadas Sobre a Maçonaria
Publicado em 1/27/2002
Doc Marquis (Christians Exposing the Occult, PO Box 632436, Nacogdoches, TX, 75963-2436, telefone (409) 552-7313.)
http://www.espada.eti.br/ - Jeremias Santos
1) A Maçonaria é uma organização cristã?

"Se a Maçonaria fosse simplesmente uma instituição cristã, os judeus e os islamitas, os hindus e os budistas não poderiam conscientemente fazer parte de sua iluminação." [Albert Mackey, Encyclopedia of Freemasonry, pg 182, maçom de Grau 33.]

-- Achamos altamente instrutivo que Mackey admita enfaticamente aos Adeptos que a Maçonaria não é cristã! Logicamente, quando Mackey escreveu seu livro, ele era secreto, e estava disponível somente aos maçons Adeptos. Se Mackey soubesse que esse livro se tornaria disponível para o público, não teria sido tão enfático.

2) A Maçonaria é cristã?

"A Maçonaria não é cristã, nem é uma substituta para o cristianismo." [C. F. McQuaig, My Masonic Friend, pg 1].

-- Novamente, vemos que, por sua própria admissão, a Maçonaria não é cristã! A única ocorrência em que ouvimos que ela é cristã é da Divisão de Propaganda Maçônica, e pelos pobres e iludidos maçons que foram deliberadamente enganados pelos seus superiores.

3) Há uma Bíblia sobre o altar nas lojas maçônicas. Isso não prova que a Maçonaria baseia-se na Bíblia?

"A Maçonaria não tem nada que ver com a Bíblia; não está baseada na Bíblia, pois, se estivesse, não seria Maçonaria, seria alguma outra coisa." [The Digest of Masonic Law, pg 207-209]

-- Agora vemos um autor maçônico admitindo que a Maçonaria não está baseada na Bíblia! Portanto, não somente a Maçonaria não é cristã, como não é nem mesmo judaico-cristã! Essas revelações simplesmente continuam aparecendo, não?

4) Mas e Deus?

"A humanidade, 'em todo', então, é o único Deus pessoal." [J. D. Buck, Mystic Masonry, pg 136, Grau 32]. Como qualquer bom ocultista, a Maçonaria acredita na mentira que Satanás disse a Eva no jardim do Éden: "Sereis como Deus". Discutimos essa crença no artigo Provamos Conclusivamente que a Maçonaria é Adoração a Lúcifer - Parte 3 de 5; se você ainda não leu esse artigo, sugerimos que faça isso antes de prosseguir com a leitura deste artigo.

5) Se a Maçonaria não está baseada na Bíblia, nem em seus princípios cristãos; então, as lojas maçônicas não estão ensinando religião, certo?

"Toda loja maçônica é um templo de religião, e seus ensinos são instruções em religião". [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 213. Pike foi um maçom de Grau 33, líder da Jurisdição Sulista do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria.].

-- A revelação dele aqui, nos ensinos para o Décimo Terceiro Grau, que a Maçonaria ensina religião, é um exemplo perfeito da política deliberada de mentir da Maçonaria. No Décimo Grau, Pike diz que a "Maçonaria não é uma religião". Depois, no Décimo Terceiro Grau, o maçom aprende que aquela afirmação é falsa e que a Maçonaria realmente é uma religião. Assim, quando um não-maçom fizer a acusação que a Maçonaria é uma religião, pode-se responder com a afirmação de Pike no Décimo Grau, em que ele nega a Maçonaria seja uma religião, e omitir que no Décimo Terceiro Grau ele inverte o que disse anteriormente e admite que a Maçonaria realmente é uma religião. Verdadeiramente, a Maçonaria é uma série de salas com fumaça e espelhos, destinadas a enganar a maioria dos maçons, e a enganar a 100% dos não-maçons. Nenhuma organização que deliberadamente usa de enganos não pode chamar a si mesma de cristã.

6) Como as lojas maçônicas são templos de religião, o que estão buscando se não adoram a Jesus Cristo?

"A Maçonaria está em busca da Luz. Essa busca leva-nos direto, como você pode ver, à Cabala." [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 741.]

7) Mas a Cabala não é uma religião?

"Todas as religiões verdadeiramente dogmáticas surgiram da Cabala e retornam a ela; tudo científico e grandioso nos sonhos religiosos dos Iluministas... todas as associações maçônicas devem a ela seus segredos e seus símbolos." [Pike, Morals and Dogma].

-- Gostaríamos de advertir a todos nossos amigos judeus que estão se deixando envolver no reavivamento do estudo da Cabala, que estão acreditando na falsificação satânica da Torá e dos outros livros do Antigo Testamento da Bíblia, que os fariseus e saduceus dos tempos de Jesus estavam praticando. Você sabia que a principal razão pela qual os fariseus e saduceus planejaram matar Jesus, a despeito de seus óbvios poderes sobrenaturais, era por que eles estavam praticando a feitiçaria da Cabala? Você pode ler os detalhes nos dois artigos Sociedades Secretas Mataram o Senhor Jesus Cristo (leia a Parte 1 e a Parte 2). Após ler esses dois artigos, você compreenderá por que Jesus foi tão implacável em suas palavras de reprovação aos fariseus, o que está totalmente em desacordo com seu caráter de amor e de compaixão pelos pecadores ordinários, mesmo os grandes pecadores. Jesus sabia que os fariseus e saduceus estavam praticando a feitiçaria que mais tarde veio a ser conhecida como Cabala.

8) Se a Cabala é uma prática antiga encontrada no mundo ocultista, os símbolos, palavras e outras expressões maçônicas podem ser encontrados no ocultismo?

"Nos ritos modernos da feitiçaria, encontramos termos e expressões que também são empregados na Maçonaria, na Alvorada Dourada, e e outras sociedades ocultistas." [Arnold e Patricia Crowther, The Secrets of Ancient Witchcraft, pg 22].

-- Novamente, vemos uma ocorrência em que a Maçonaria é amada pelas pessoas erradas: feiticeiros, satanistas, iluministas, autores de livros de Nova Era possessos por demônios, e líderes de outras sociedades secretas, igualmente possessos por demônios. Como diz o ditado, "Os pássaros da mesma plumagem pousam no mesmo galho", esse fato é uma evidência muito importante e concreta de que a Maçonaria é tão satânica quanto essas organizações admitem abertamente que são! Tenha esse fato em mente ao ler os fatos apresentados em seguida.

9) Se a Maçonaria promove as religiões ocultistas, certamente muitos de seus membros devem ter formação ocultista

Eles certamente têm! Relaciono em seguida alguns exemplos de satanistas e/ou ocultistas que também eram maçons de boa posição.

-- Não se deixe enganar pela Propaganda Maçônica que diz que essas pessoas eram "maçons rebeldes"; pelo contrário, foram maçons de boa posição durante grande parte de suas vidas. Na verdade, o que esses ocultistas, que também eram maçons, representam, são os poucos maçons iluministas, que percorreram todo o caminho para a "Luz", para descobrir qual realmente é o grande segredo final da Maçonaria, isto é, satanistas dedicados trabalhando para implantar a Nova Ordem Mundial do Anticristo.

a) Arthur Edward Waite, historiador e autor ocultista.

-- Nos artigos Free12 e Free13, citamos muito esse autor, observando que seus livros são sempre publicados por uma editora maçônica bem conhecida e estabelecida.

b) Dr. Wynn Westcott - membro da Sociedade Rosacruz e membro fundador da Ordem Hermética da Alvorada Dourada,

-- uma das sociedades secretas mais satânicas que existem e altamente ativa no estabelecimento da vindoura Nova Ordem Mundial do Anticristo. Você não acha extremamente esclarecedor saber que o fundador dessa sociedade secreta também era maçom?

c) S. L. MacGregor Mathers - co-fundador da Ordem Hermética da Alvorada Dourada

-- Assim, vemos que ambos os fundadores dessa sociedade secreta satânica eram maçons.

d) Dr. Gerard Encausse - membro dos Illuminati e líder do grupo conhecido como 'Martinismo'. De acordo com Albert Mackey, um maçom de Grau 33, "Os graus do Martinismo envolvem os deleites (prazeres) dos místicos" [Albert Mackey, Encyclopedia of Masonry, pg 552].

-- Os "deleites dos místicos" aqui é um eufemismo para sexo. Em outros artigos, já observamos que a Maçonaria utiliza o simbolismo do círculo com um ponto no meio para representar o sexo [veja os detalhes no artigo free13]. Em outros artigos, também observamos o simbolismo sexual inerente nos escritos maçônicos. Os maçons "adoram a criatura em lugar do Criador", exatamente como quaisquer outros pagãos na história mundial. Novamente, esse fato é umas das razões por que insistem em absoluto segredo, temendo a investigação pública.

e) Aleister Crowley - O infame satanista que fundou a religião ocultista de Thelema. Esse homem (mostrado na foto à direita) era tão vil e depravado que seus próprios contemporâneos os chamavam de "Mister 666" e sua própria mãe o chamava de "A Besta" do livro do Apocalipse.

-- Crowley não fundou a Ordem dos Templários do Oriente, mas controlou a organização por muitos anos. A OTO é uma sociedade secreta praticante de Magia Negra, muito satânica.

f) Dr. Theodore Reuss - Líder da ordem ocultista conhecida como O.T.O. (Ordo Templi Orientis, ou Ordem dos Templários do Oriente). Reuss foi um prolixo autor ocultista que deu a Aleister Crowley a liderança da OTO em Londres.

-- Mostramos em seguida o logotipo oficial da OTO, obtido na Internet. A ilustração representa o abismo negro do Inferno. Aparentemente, é a entrada do Inferno, com as colunas no estilo maçônico em cada lado e o símbolo ocultista/maçônico alado no alto. Os Olhos Que Tudo Vêem observam todos os que entram pelas portas. A Maçonaria é idêntica aos Mistérios", disse Albert Pike; portanto, essa cena das Portas do Inferno é Maçonaria.

g) George Pickingill - renomado bruxo-mestre da Inglaterra do século XIX e líder do 'conciliábulo Pinkingill'.

h) Manly P. Hall - Rosa-cruz, autor maçônico, e fundador da Sociedade de Pesquisa Filosófica

-- Hall é reconhecido mundialmente como um dos mais prolixos autores maçônicos. Foi ele que disse que os companheiros maçons podem ter "as energias ardentes de Lúcifer nas mãos" quando compreenderem os profundos segredos da Arte. Como Hall era ao mesmo tempo rosa-cruz e maçom, queremos mostrar-lhe a Cruz Rosa-Cruz, para que você possa ver as terríveis blasfêmias da Maçonaria. Observe atentamente como eles cobriram a preciosa cruz do Calvário com os mais profundos e malignos símbolos de satanismo! Você pode ver quatro pentáculos em pé, representando Lúcifer e cobrindo cada uma das pontas da cruz; em seguida, pode ver um hexagrama logo abaixo do centro, provavelmente destinado a lançar uma "maldição" na cruz do nosso Salvador! Pessoal, essa é a verdadeira natureza da Maçonaria. A Maçonaria reverencia muito a Sociedade Rosa-Cruz, e tem até mesmo um grau dedicado a ela, chamado "Cavaleiro Rosa-Cruz", o Décimo Oitavo Grau! Mais uma vez, a verdadeira natureza satânica da Maçonaria fica bem clara.

i) Gerald B. Gardner - Fundador do moderno reavivamento de Wicca, que tem um estilo de feitiçaria nomeado em sua homenagem, o "Estilo Gardneriano de Feitiçaria".

j) Alex Sanders - Conhecido como "Rei de todos os Feiticeiros", em Londres, foi um dos feiticeiros mais influentes após Gardner. Também tem um estilo de feitiçaria nomeado em sua homenagem, a "Feitiçaria Alexandrina".

k) Eliphas Levi - um dos maiores autores ocultistas do século XIX.

-- Doc deixa de dar a devida ênfase aqui. Levi é conhecido como "a maior autoridade ocultista do século XIX". Ele criou uma imagem extremamente obscena de Baphomet para representar Satanás. "O desenho do Baphomet de Levi mostra sua ênfase no sexo, pois criou Baphomet como um ser andrógino [masculino e feminino]. Satanás, como o Baphomet, frequentemente é retratado como uma deidade hemafrodita, que tem falo de homem e seios de mulher. Em um livro sobre feitiçaria, The Complete Book of Witchcraft and Demonology, encontramos uma figura do Baphomet. A legenda diz que ele era o 'deus cornífero dos feiticeiros, o sexo encarnado'. Essa figura mostra o Baphomet fazendo o sinal da tríade do Diabo com sua mão direita. [Dra. Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated]

-- O espírito-guia de Eliphas Levi levou-o a níveis de compreensão da feitiçaria que poucos homens na história já atingiram. Suas ilustrações são consideradas inigualáveis no mundo ocultista, e ele não somente foi contemporâneo de Albert Pike, mas também exerceu influência sobre ele. [Arthur Edward Waite, Some Deeper Aspects of Masonic Symbolism, Kila, Montana, reimpresso por Kessinger Freemasonry Publishing Co.] Arthur Wait disse a respeito de Levi: ".... certamente um dos mais destacados expoentes continentais da ciência ocultista que o século XIX produziu, e seus escritos têm uma elevada estima nas escolas modernas da alta magia." [Waite, citado no livro de Levi, The History of Magic, no catálogo da Kessinger, para influenciar o leitor a comprar o livro de Levi.]

-- Albert Pike [maçom de Grau 33, Grande Comandante da Jurisdição Sulista] foi, portanto, muito influenciado por Levi em suas opiniões a respeito de Lúcifer. Já citamos Pike em Morals and Dogma [pg 567, ensinos para o Vigésimo Oitavo Grau] em que identifica Lúcifer como o portador de luz da Maçonaria, a "Luz" à qual os maçons fazem o juramento de trabalhar para alcançar. Ouça Levi falar sobre Lúcifer: "XXXVIII: O que é mais absurdo e ímpio do que atribuir o nome de Lúcifer ao Diabo, isto é, ao mal personificado? O Lúcifer intelectual é o espírito da inteligência e do amor; é o paráclito [o defensor]; é o Espírito Santo, onde o Lúcifer físico é o grande anjo do magnetismo pessoal." [Eliphas Levi, The Mysteries of Magic, A Digest of the Writings of Eliphas Levi]

10) Existem mulheres na Maçonaria?
-- A maioria dos maçons fica chocado ao saber que as mulheres também podem ingressar na Maçonaria, pois foram levados a acreditar que ela esteja aberta somente aos homens. No entanto, um segredo é que as mulheres podem tornar-se co-maçons, ingressando como membros plenos, normalmente em companhia de seus maridos. Você pode ver os dois símbolos da Co-Maçonaria que descobri, juntamente com figuras gerais de mulheres em seus trajes maçônicos. A Co-Maçonaria produziu algumas líderes realmente importantes no movimento da Nova Ordem Mundial. Veja as explicações de Marquis:

Contrariamente à crença popular, as mulheres também podem ingressar na Maçonaria. No livro de Albert Mackey, Encyclopedia of Masonry, (pg 307), há uma lei da Maçonaria que é conhecida como Lei de Salique. Ela diz que as mulheres não podem se tornar maçons; no entanto, no passado, algumas mulheres foram aceitas. Alguns exemplos são.

a) A nobre Sra. Aldsworth - [mostrada na figura anterior] - por volta de 1735, recebeu o primeiro e o segundo graus na Loja 44, em Doneraile, Irlanda.

b) Sra. Beaton - morava e recebeu sua iniciação em Norfolk, Inglaterra.

c) Madame de Xaintrailles - iniciada na Loja Francesa durante o final do século XIX.

d) Elizabeth St. Leger - iniciada em 1710, aos dezessete anos.

e) Condessa Barkoczy, da Hungria - foi iniciada na Loja Húngara da Maçonaria.

11. Existem exemplos de mulheres ocultistas que pertenceram à Maçonaria?

Sim!

a) Madame Helena Petrovna Blavatsky - fundadora da ocultista Sociedade Teosófica, foi iniciada na Maçonaria durante a primeira parte do século XIX.

-- Aqui, Marquis deixa de dar a devida a importância dos fatos. Blavatsky foi a fundadora de uma das sociedades secretas mais satânicas que existem! Entre as pessoas que aprenderam satanismo com ela estão Adolf Hitler e alguns de seus homens, Lênin e alguns outros líderes comunistas. Hitler, particularmente, considerava os ensinos de Blavatsky cruciais para suas doutrinas satânicas, especialmente o tratado que ela escreveu, A Doutrina Secreta. O holocausto nazista ocorreu em grande parte em decorrência dos ensinos de Blavatsky! Aqui, vemos que ela também pertenceu à Maçonaria.

b) Annie Besant - líder da profundamente satânica Sociedade Teosófica.

c) Alice A. Bailey - Sucedeu Annie Besant como líder da Casa da Teosofia. Alice e seu marido [Foster Bailey, um maçom de Grau 32] foram membros da Co-Maçonaria. Alice Bailey fundou a editora Lucifer Trust, com o propósito expresso de publicar os livros de Nova Era que seriam escritos em grande quantidade dali para a frente. Após perceber que a maioria das pessoas tinha aversão ao nome de Lúcifer, ela mudou o nome da editora para Lucis Trust.

12) Assumindo, então, que muitos membros maçons estão interessados, ou envolvidos no ocultismo, quais são as verdadeiras doutrinas religiosas dos maçons?

O que precisamos dizer para a multidão é: "Adoramos a um deus, mas é um deus adorado sem supertição.' A vós, Soberanos Grande Inspetores Gerais [maçons de Grau 33], dizemos isto... para que repitais aos irmãos dos Graus 32, 31 e 30... A religião maçônica deve ser, por todos os iniciados nos graus mais elevados, mantida na pureza da doutrina luciferiana... Sim, Lúficer é Deus, e infelizmente, Adonai [Deus da Bíblia Sagrada] também é Deus... a doutrina do satanismo é uma heresia; e a religião pura e verdadeira é a crença em Lúcifer, que é igual a Adonai; mas Lúcifer, Deus da Luz, Deus do Bem, está lutando em favor da humanidade contra Adonai, o Deus das Trevas e do Mal." [Lady Queenborough, Occult Theocracy, pg 220-221, citando uma carta de Albert Pike, aos Supremos Conselhos Mundiais, em 14/7/1889.]

-- A Maçonaria contra-atacou essa carta, afirmando que era uma falsificação. No entanto, precisa responder ao fato que essa adoração a Lúcifer também é explicada nos dois livros monumentais de Pike, Morals and Dogma, e Magnum Opus. Tudo o que está contido nessa carta também está contido nesses dois livros, e temos ambos aqui no escritório.

-- Finalmente, a história não registra que a Maçonaria alguma vez tenha processado Lady Queenborough por calúnia e difamação. Certamente, como a carta é tão condenatória, a Maçonaria teria feito todo o possível para limpar seu nome, até ao ponto de processar. A absoluta falta de ação deles comprova a verdade da afirmação de Lady Queenborough que essa carta de Albert Pike é genuína.

13) Espere um minuto! Você está dizendo que a 'luz' que a Maçonaria procura, vem de Lúcifer?

"LÚCIFER, o portador da luz... É ele quem porta a luz? Não duvides!" [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 321; ênfase no original]

14) Espere ai! Lúcifer, ou Satanás não é o deus das trevas? O maligno?

"O verdadeiro nome de Deus, dizem os cabalistas, é Yahweh (DEUS) invertido; pois Satanás não é um deus negro, mas a negação de Deus. Para os iniciados, não é uma Pessoa, mas uma Força..." [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 102].

-- A afirmação de Pike, em uma carta, mencionada anteriormente, define o puro satanismo. Eles acreditam que Deus e Lúficer são Deuses iguais, eram concorrentes no Jardim no Éden, com Adonai, o Deus da Bíblia Sagrada obtendo uma "vitória temporária" No entanto, os ocultistas acreditam que, na batalha do Armagedom, Lúcifer destronará Adonai e se apoderará do seu trono de direito nos céus. Todos os luciferianos, incluindo os Iluministas, acreditam nisso de todo o coração. Adonai é o Deus cruel, conforme demonstrado pelo fato de ordenar que os israelitas nos tempos do Antigo Testamento matassem populações inteiras de pessoas pelo único pecado de adorarem a Lúcifer, seu adversário; Lúcifer, por outro lado, não tem esse histórico de matanças e é considerado o Deus do Bem.

-- Além disso, chamando Lúcifer, ou Satanás, de Força, em vez de Pessoa, Pike cumpre a profecia bíblica referente ao Anticristo. Em Daniel 11:38, lemos: "Mas em seu lugar honrará a um deus das forças". Nem Albert Pike nem qualquer outro luciferiano sabe que está cumprindo as profecias bíblicas sobre o Anticristo. No entanto, como indicamos no artigo "Teachings About Jesus Christ" [disponível no site da Cutting Edge], a doutrina deles sobre Jesus Cristo também cumpre precisamente a definição bíblica do Anticristo.

15) Satanás, pode, então, ser entendido como Deus, a fonte da Luz?

"Para formar uma idéia de Deus .... a Cabala o imaginou como a 'luz mais oculta'. [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 740]

16) Como a religião maçônica é a "frente" para a religião dos iluministas, a "luz" maçônica é a "luz" dos iluministas?

"O resultado é luz ou iluminação. Tais são os Iluministas" [J. D. Buck, maçom de Grau 33, em Mystic Masonry, introdução, pg XI].

-- Novamente, vemos a Maçonaria culpada de ser luciferiana pelas palavras de seus próprios autores. É realmente muito ruim que 95% de todos os maçons não separem tempo para ler os mesmos livros que nós, e outros autores cristãos, já lemos. Esses maçons não fizeram nem uma fração da pesquisa que já fizemos; no entanto, preferem acreditar na mentiras dos seus superiores.

17) O candidato a maçom não aprende a verdade sobre a religião e o deus da Maçonaria quando ingressa na Loja Azul, onde recebe os três primeiros graus?

"Os graus da Loja Azul são apenas o pátio exterior, ou o pórtico do Templo. Alguns símbolos são mostrados ali para o iniciado, mas ele é intencionalmente enganado com falsas interpretações. Não se deseja que ele compreenda o significado dos símbolos, mas que apenas pense que compreende." [Albert Pike, Morals and Dogma, pg 819; ênfase acrescentada]

-- Todos os maçons precisam ler e reler o parágrafo acima, pois é muito esclarecedor. Pike acaba de dizer para seus Adeptos do Trigésimo Grau que podem livre e intencionalmente enganar os maçons de graus mais baixos. Esses pobres homens devem imaginar que compreendem os símbolos da Maçonaria! Essa mentira audaz vem do Maligno, de Satanás, não do Deus Santo da Bíblia!

18) Quem, então, tem a permissão de conhecer a verdade, e o que realmente acontece na Maçonaria?

"Precisamos criar um super-rito, que permanecerá desconhecido, ao qual chamaremos aqueles maçons de graus elevados (do trigésimo para cima), a quem selecionaremos. Com relação aos nossos irmãos na Maçonaria, esses homens precisam jurar manter o mais rígido segredo. Por meio desse rito supremo, governaremos toda a Maçonaria, que se tornará o centro internacional, o mais poderoso, porque sua direção será desconhecida" [carta datada de 22/1/1870 de Albert Pike para o líder da Ordem dos Illuminati, Giuseppe Mazzini].

19) Você está dizendo que a Maçonaria é somente uma encenação e que há algo mais por trás dela?

"Isso serviu de base à nossa organização da Maçonaria secreta, que ninguém conhece e cujos desígnios não são sequer suspeitados pelos tolos gentios, atraídos por nós ao exército visível das lojas, a fim de desviar os olhares de seus próprios irmãos.... Quem poderá derrubar uma força invisível? Nossa força é assim. A Maçonaria externa serve unicamente para cobrir nossos desígnios; o plano de ação dessa força, o lugar que assiste, são inteiramente ignorados do público. [Protocolo dos Sábios de Sião, Protocolo 11, Protocolo 4]

-- Os Protocolos dos Sábios de Sião são o documento mais declaradamente satânico na história mundial! Eles relacionam sistematicamente todas as etapas necessárias para estabelecer a Nova Ordem Mundial e o Anticristo. É algo muito sério os Protocolos afirmarem que a Maçonaria existe somente para desviar os olhares dos Iluministas. Novamente, vemos a crença deles, afirmada por Pike anteriormente, que um super-rito, que é totalmente desconhecido, promoverá os interesses dos Iluministas poderosamente. A Maçonaria está sendo usada pelos Iluministas para desviar os olhares das pessoas, e para trazer a Nova Ordem Mundial.

20) Então, se a Maçonaria é apenas uma encenação exterior, o que está realmente tentando esconder por dentro?
"SOCIEDADES SECRETAS - Mas, esperando nosso advento, criaremos e multiplicaremos, pelo contrário, as lojas maçônicas em todos os países do mundo, atraindo para elas todos os que são ou possam ser agentes proeminentes. Essas lojas formarão nosso principal aparelho de informações e o meio mais influente de nossa atividade. Centralizaremos todas essas lojas em uma administração que somente nós conheceremos, composta pelos nossos Sábios. As lojas terão seu representante, atrás do qual estará escondida a administração de que falamos, e será esse representante quem dará a palavra de ordem e o programa. Formaremos nessas lojas o núcleo de todos os elementos revolucionários e liberais. Elas serão compostas por homens de todas as camadas sociais. Os mais secretos projetos políticos ser-nos-ão concedidos e cairão sob a nossa direção no próprio momento em que apareçam. No número dos membros dessas lojas se incluirão quase todos os agentes da polícia nacional e internacional, .... porque seu serviço é insubstituível, para nós, visto como a polícia, pode não só tomar medidas contra os recalcitrantes, como cobrir nossos atos, criar pretextos de descontentamentos, etc... Aqueles que entram para as sociedades secretas são ordinariamente ambiciosos, aventureiros, e em geral, homens na maioria levianos, com os quais não teremos grande dificuldade em nos entendermos para realizar nossos projetos." [Protocolos dos Sábios de Sião, Protocolo 15]

21) Ninguém nunca tentou advertir o público sobre a conexão Maçonaria/Iluministas e suas atividades antes?

Sim! Muitas pessoas tentaram, mas poucas foram ouvidas. Todas as advertências seguintes são de indivíduos que eram proeminentes na política, na vida acadêmica e líderes religiosos. Não eram "sensacionalistas" nem eram "profetas do Apocalipse"; todos eram indivíduos altamente qualificados e respeitados em seus campos de atuação.

a) Presidente George Washington, 1785, em uma carta ao reverendo G. W. Snyder: "Reverendo, não era minha intenção duvidar que a doutrina dos Iluministas - os princípios do Jacobinismo - não tinham se espalhado pelos Estados Unidos. Pelo contrário, ninguém está mais satisfeito com esse fato do que eu".

-- Pouco antes de morrer, o Presidente Washington estava bem ciente que o ramo radical da Maçonaria, os Iluministas de Adam Weishaupt, tinha alastrado seu veneno para os EUA.

b) Em 1798, o Professor John Robinson advertiu os líderes maçons que os Iluministas estavam se infiltrando nas lojas.

c) Reverendo Jedidiah Morse (pai de Samuel Morse) pregou em 1798: A Ordem dos Illuminati tem suas filiais estabelecidas e seus emissários trabalhando nos EUA."

d) David Pappen, Presidente da Universidade de Harvard, em 19/7/1798, fez uma advertência à classe dos formandos em uma aula sobre a influência que os Iluministas estavam exercendo na política e na religião nos EUA.

e) John Quincy Adams, que em 1800 opôs-se a Thomas Jefferson na disputa pela Presidência, escreveu três cartas ao coronel William L. Stone, expondo como Jefferson estava usando as lojas maçônicas para os propósitos subversivos dos Iluministas. Acredita-se que as informações contidas naquelas cartas ajudaram Adams a vencer a eleição. Elas ficaram expostas na Biblioteca da Praça Rittenburg, em Philadelphia.

f) Dr. Joseph Willard, Presidente da Universidade de Harvard, disse em 4 de julho de 1812, à classe dos formandos: "Existem evidências suficientes que diversas sociedades dos Iluministas estabeleceram-se neste pais. Elas estão trabalhando para solapar secretamente todas as nossas antigas instituições, civis e religiosas. Essas sociedades estão claramente coligadas com suas congêneres na Europa... Vivemos em um período alarmante. Os inimigos de toda a ordem estão procurando nossa ruína. É claro que se a infidelidade prevalecer, nossa independência cairá e nosso governo republicano será aniquilado."

-- Vivemos no tempo final que o Presidente Willard, da Universidade de Harvard, temia; os inimigos das nossas liberdades estão próximos de alcançar seus objetivos. Quando pessoas qualificadas como essas puderam ver a conspiração para destruir nosso país e nossas liberdades, por que muitas pessoas ainda duvidam?

g) O primeiro-ministro britânico Sir Winston Churchill, disse em 1920, três anos após os bolcheviques tomarem o poder na Rússia: "Desde os dias de Weishaupt (codinome Spartacus) aos de Karl Marx, aos de Trotsky ... essa conspiração mundial .. tem crescido continuamente. Essa conspiração teve um papel definitivamente reconhecível na tragédia da Revolução Francesa. Foi a mola principal de todo movimento subversivo durante o século XIX; e agora, finalmente, esse grupo de personalidades extraordinárias do submundo das grandes cidades da Europa e da América tomou o povo russo pelos cabelos de suas cabeças e tornou-se praticamente o dono incontestável daquele enorme império."

--No Seminário 2, "America Determines the Flow of History" [que pode ser adquirido em fitas cassetes visistando-se o site da The Cutting Edge], delineamos a teoria que o Plano para a Nova Ordem Mundial que está em operação requereu a criação deliberada do comunismo. No entanto, ficamos chocados quando encontramos essa citação de Winston Churcill dizendo ao mundo em 1920, que os Iluministas tinham criado o comunismo!

g) A famosa historiadora e autora inglesa Nesta Webster, em seu livro World Revolution, publicado nos anos 20, na página 78, diz: "Embora esses eventos (os estágios iniciais da Revolução Francesa de 1789) estivessem ocorrendo na Europa, o Novo Mundo (os EUA) estavam sendo influenciados pelos Iluministas. Em 1786, uma Loja da Ordem dos Iluministas foi inaugurada na Virgínia, e foi seguida por quatorze outras, em diferentes cidades."

h) O Relatório do Comitê de Investigação Sobre a Educação, do Senado da Califórnia, dizia em 1953: "O assim chamado comunismo é aparentemente a mesma hipócrita e mortal conspiração mundial para destruir a civilização que foi fundada pela Ordem Secreta dos Iluministas, na Bavária, em primeiro de maio de 1776 e que ergueu sua cabeça em nossas colônias aqui no período crítico antes da adoção da nossa Constituição Federal."

-- Essa afirmação é inacreditável, não pelo conteúdo, mas pela fonte - o Senado da Califórna Sobre a Educação! Sempre fico admirado em ver como o conhecimento de uma geração pode ser enterrado pelas gerações posteriores. Verdadeiramente, cada geração precisa conquistar suas próprias liberdades.

22) Quando os maçons tornaram-se parte dos Iluministas?

"Em 16 de julho de 1782, no famoso Congresso de Wilhelmsbad, próximo da cidade de Hanau, em Hesse-Cassel. Esse Congresso foi iniciado por Ferdinando, Duque de Brunswick, Grande Mestre da Ordem da Observância Rígida." [Albert Mackey, Encyclopedia of Freemasonry, pg 1006].

23) O que aconteceu nesse encontro?

Adam Weishaupt, e seu braço direito, o Barão Adolf Von Knigge (ambos eram maçons naquele tempo) comparecerem ao Congresso de Wilhelmsbad; eles tinham se reunido com os representantes dos 23 Supremos Conselhos do mundo maçônico e os convenceram, após trinta sessões, a seguir o Plano de Sete Partes dos Iluministas para a criação de uma Nova Ordem Mundial.

24) Como fizeram isso?

No final das trinta reuniões com os Conselhos, os representantes do mundo maçônico assinaram um documento, cada qual com seu próprio sangue, que seguiriam o Plano de Sete Partes dos Iluministas para o estabelecimento da Nova Ordem Mundial.

25) Os maçons não têm conhecimento sobre esses fatos?

A maioria não tem. Praticamente 95% dos maçons não têm a menor idéia do que realmente acontece em suas próprias lojas. Somente os maçons do Trigésimo Grau para cima é que podem conhecer esses segredos. Desses, somente 5% conhecem toda a verdade, por terem sido iniciados na Ordem dos Iluministas. Na maioria das vezes, um Iluminista entrará nas fileiras da Maçonaria somente para continuar o processo de infiltração. Eventualmente, esse Iluminista se tornará um dos maçons de alto nível e poderá, portanto, controlar melhor o mundo maçônico por causa de seu elevado grau e poder.

-- Se você faz parte dos 95% dos maçons que estão condenados a permanecer na ignorância e não conhecer a verdadeira natureza da loja, agora aprendeu a verdade.Fonte:www.jesussite.com
 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti