sexta-feira, 19 de março de 2010

DIFICULDADES DO ESPIRITISMO KARDECISTA - FACÇÕES ESPÍRIITAS

Estudos de Seitas      Apologética       Espiritismo
Dificuldades do Espiritismo Kardecista
Publicado em 12/28/2000
Pr Airton Evangelista da Costa
Assembléia de Deus Palavra da Verdade
Satanás e os demônios

Hyppolyte Léon Denizart Rivail, que usou em seus livros o nome de Allan Kardec, descartou a possibilidade da existência do diabo e dos demônios. Vejam:

(a) "A palavra daimon, da qual fizeram o termo demônio, não era, na antigüidade, tomada à má parte, como nos tempos modernos. Não designava exclusivamente seres malfazejos, mas todos os Espíritos superiores, chamados deuses, e os menos elevados, ou demônios propriamente ditos, que comunicavam diretamente com os homens. Também o Espiritismo diz que os Espíritos povoam o espaço; que Deus só se comunica com os homens por intermédio dos Espíritos puros, que são incumbidos de lhe transmitirem as vontades; que os Espíritos se comunicam com eles durante a vigília e durante o sono. Ponde, em lugar da palavra demônio, a palavra Espírito e tereis a doutrina espírita; ponde a palavra anjo e tereis a doutrina cristã" (Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução, item, VI).

(b) "O Espiritismo demonstra que esses demônios mais não são do que as almas dos homens perversos, que ainda se não despojaram dos instintos materiais..." (E.S.E., cap. XII, item 6).

Enquanto no Cristianismo o diabo e seus demônios são anjos decaídos, os maiores inimigos de Deus e dos homens, no Kardecismo são considerados espíritos desencarnados que ainda não evoluíram. Segundo o próprio Kardec, Jesus foi a Segunda Revelação de Deus, e veio com a missão divina de ensinar aos homens a mais pura moral, a moral evangélico-cristã. Por essa razão, Jesus se apresenta para os kardecistas como um insuspeito, um homem que somente falou a verdade, que não responde por dolo ou má fé.

As Palavras de Jesus

1) "E disse o diabo a Jesus: Tudo isto [os reinos do mundo] te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: "Vai-te, Satanás. Pois está escrito: ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás" (Mateus 4.8-10). Comentário: Jesus, na qualidade de um Espírito Puro, um Médium de primeira grandeza, segundo a tese kardecista, teria condições plenas de reconhecer ali, não um adversário em potencial, mas um pobre espírito humano necessitado de reencarnação. Esse "espírito perverso", ao qual Jesus se dirigiu com palavras de ordem, alcançaria a perfeição e seria igual a Jesus em pureza, mediante muitas vidas corpóreas, segundo a doutrina de Denizart Rivail. Ora, conhecendo o drama de seu "irmão", Jesus, o "médium" por excelência, certamente vidente e incorporante, chamaria aquele espírito pelo nome da sua última encarnação. Diria mais ou menos assim:

"Oh meu caro Joaquim, não faças mais isto, ouviu! Na qualidade de Bom Espírito eu te aconselho a escolher reencarnar rapidamente e escolher uma prova bem difícil, a fim de você expungir suas culpas. Eu também já passei por essas dificuldades. Agora vá em paz, medite sobre sua vida, e largue essa mania de desejar ser adorado. Tchau, tchau, lembranças aos seus colegas".

Observem que o diabo daria a Jesus "os reinos deste mundo" (Mt 4.8-9). Algum espírito desencarnado teria sob seu domínio o sistema mundial? É evidente que tal domínio se aplica realmente ao império do mal sobre o qual reina o diabo, o deus deste século (2 Co 4.4)

As hipotéticas palavras de Jesus, como acima, estariam de acordo com a doutrina kardecista. Vejam a questão 116 do Livro dos Espíritos: "Há Espíritos que fiquem perpetuamente nas camadas inferiores"? Resposta: "Não: todos eles tornar-se-ão perfeitos; mudam de classe, embora devagar". E mais: os espíritos maus só assumem nova vida corpórea se quiserem. Veja a questão 117: "Depende dos Espíritos apressar a sua marcha para a perfeição? Resposta: "Certamente. Chegam mais ou menos rapidamente , conforme SEU DESEJO e sua submissão à vontade de Deus..."

2) "Vós pertenceis ao vosso pai, o diabo, e quereis executar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, pois não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, pois é mentiroso e pai da mentira" (João 8.44). Comentário: Aqui Jesus, a "Segunda Revelação de Deus", conceitua o diabo. Como em outras passagens, Jesus o identifica, nomeia, aponta, distingue, intitula, indica, mostra, esclarece, particulariza, define. E mais: diz que ele foi "homicida desde o princípio". Ora, segundo a tese kardecista da preexistência, as almas são criadas por Deus em estado simples e sem conhecimento, porém sem maldade. Vejam a questão 115 do Livro dos Espíritos de Kardec: "Entre os Espíritos uns foram criados bons e outros maus"? Resposta: "Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem ciência". Logo, se o "diabo" a que Jesus se referiu fosse um desencarnado ou uma alma em seu estado natural, como poderia ser homicida e mentiroso desde o princípio?

3) "Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: "Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos" (Mt 25.41). Comentário: Aqui mais uma vez "A Segunda Revelação de Deus" particulariza, nomeia e identifica o diabo dentre os demais seres espirituais. Ao anunciar que o destino do diabo e dos demônios é o inferno, Jesus não está se referindo a espíritos humanos, que também terão o mesmo destino se não andarem nos caminhos do Senhor. Ora, se Jesus fosse apenas um "Espírito Puro", conhecedor da pluralidade das existências, a conversa seria mais ou menos assim: "Olha, meus filhos, porque vocês fizeram coisas erradas na terra retornarão a ela inúmeras vezes. Mas vocês têm liberdade de escolher se desejam ficar muito tempo errantes, ou se querem reencarnar o mais rápido possível para se despojarem de suas imperfeições". Ademais, para os "espíritos" de Kardec não existe esse lugar preparado "para o diabo e seus anjos", como assegurou Jesus.

Além disso e apesar disso, Kardec declarou com todas as letras que "Cristianismo e Espiritismo ensinam a mesma coisa" (E.S.E. Introdução, VII); que "verdadeiro espírita e verdadeiro cristão são uma só e a mesma coisa" (E.S.E., cap. XV, item 10).; que "o Espiritismo nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo..." (E.S.E., cap.I, item 7). Podemos acreditar que o Espiritismo é a expressão da verdade? Podemos acreditar que exista um Espiritismo Cristão?

-------------------------------------------------
Pr Airton Evangelista da Costa, Assembléia de Deus Palavra da Verdade, em Aquiraz (CE)
Fonte:JesusSite

Nenhum comentário:

 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti