quarta-feira, 9 de junho de 2010

PRAGMATISMO EM " NOVA ERA DUNGA" IMPRESIONA JORNALISTAS ESTRANGEIROS

Hernán Bahos Ruiz.
Johanesburgo, 9 jun (EFE).- O prazer lúdico do futebol não será tão importante para a seleção brasileira como a conquista do sexto título mundial.
Kaká foi o primeiro a traçar a nova visão pragmática do futebol brasileiro seguida por Dunga ao advertir na semana passada que "o espetáculo final é ganhar, isso é o mais importante".
Fortalecer a marcação e preservar o equilíbrio tático são, na opinião do astro do Real Madrid, condições básicas para dar "espetáculo".
Se há fantasia em campo ou não, é outra discussão.
O volante Gilberto Silva deu nesta quarta-feira um aviso àqueles que esperam shows em jogos do Brasil.
"Nós não estamos aqui para brincadeira", afirmou em tom cordial, mas severo.
A declaração provocou silêncio entre os jornalistas estrangeiros - sobretudo europeus - na sala utilizada para entrevistas coletivas no hotel sul-africano onde os jogadores treinam e estão concentrados para a disputa da Copa do Mundo.
"Jogar? Os brasileiros não estão aqui para jogar?", foi a reação em comum entre os profissionais de imprensa.
Em outras palavras, o futebol é um assunto sério. Não é um jogo para crianças.
"Nós queremos e vamos nos esforçar para sermos campeões. Para dizer que vamos ser campeões, teria que ter uma bola de cristal. Mas fizemos um bom trabalho bom para chegar a esse objetivo e todo mundo está concentrado", acrescentou o jogador.
Gilberto Silva, que chega a seu terceiro Mundial, tendo ajudado o Brasil na conquista do pentacampeonato, em 2002, alékm de ter participado da campanha de 2006, antecipou que na estreia da seleção, contra a Coreia do Norte, não se pode esperar do Brasil a "melhor partida". O mais importante é o resultado.
"Talvez não joguemos nossa melhor partida, mas se ganharmos deixaremos a pressão para os outros adversários que também lutam por uma vaga na fase seguinte", disse, lembrando das seleções de Costa do Marfim e Portugal, que tambem compõem o grupo G.
"Na estreia, vamos mandar o recado que queremos sobre as intenções do Brasil na Copa. A responsabilidade é sempre nossa. Nenhum rival se vai jogar contra o Brasil como franco-atirador", acrescentou.
Gilberto Silva explicou ainda que os jogadores têm plena confiança no trabalho realizado por Dunga, que assumiu o comando da equipe após o fracasso no Mundial de 2006. O volante não deixou de citar as conquistas da equipe desde então, como os títulos da Copa América (2007) e da Copa das Confederações (2009).
"Somos conscientes do que devemos fazer. A Copa começou para nós há três anos e oito meses", finalizou. EFE -  BY  LERY FOR  YOU

Nenhum comentário:

 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti